Parto: qual é o tamanho do seu medo?!?!

Um receio bastante comum e gerador de ansiedade nas gestantes é o parto. Assunto de bastante interesse (e pitacos alheios), afinal, é raro uma gestante nunca ter sido questionada “se vai querer parto normal ou cesárea”… 😬

Para além do senso comum, existe uma gama de possibilidades e outros tantos “passo a passo” que muitas vezes desconhecemos. Vale lembrar que informação gera autonomia, e autonomia possibilita tomadas de decisões que, por sua vez, previnem conflitos psicológicos importantes no pós-parto. 🎯

Algumas mulheres apresentam um medo muito mais intenso em relação ao parto, e acabam por entrar em pânico ao pensar na possibilidade de que este momento envolva algum risco para ela ou para o bebê. 😳

A adoção ou a barriga de aluguel para muitas passam a ser solução. Estas mulheres acabam por combinar diversos métodos contraceptivos para terem a certeza de que não irão engravidar. E, em casos mais graves, existem mulheres que tentam interromper a gestação para não lidarem com o parto. 🥺

Este “pavor todo” tem nome, tocofobia, de origem grega tokos significa parto e phobos significa medo. Os psiquiatras britânicos, Kristina Hofberge e Ian Brockington, há 20 anos desenvolveram o primeiro artigo científico falando deste medo irracional e intenso em relação ao parto. 🤰🏼

A tocofobia pode ser dividia em dois tipos: primária (quando acomete mulheres que ainda não engravidaram ou estão gravidas pela primeira vez; tendo origem, provavelmente, em algum trauma de infância ou adolescência, exposição a cenas de parto na vida real, filme/novela, abuso sexual, entre outros) e secundária (quando acontece em uma gestação posterior a um parto traumático). 

De acordo com os últimos estudos, estima-se que uma em cada seis mulheres tenha tocofobia. 🤰🏻🤰🏼🤰🏼🤰🏼🤰🏼🤰🏼

Vale lembrar que é uma enfermidade tratável e que deve ser acompanhada por uma equipe multidisciplinar, “sensível” e atenta, capaz de diferenciar o “esperado” do “exarcebado”, uma vez que além do medo, outros sintomas se confundem com o trivial em uma gestacão: ansiedade, choro, náuseas, vômitos… além dos mais intensos e específicos como: pesadelos recorrentes e idealizacões sobre morte durante o parto. 🔴

Caso exista um histórico de tocofobia em gestação anterior, o ideal é que o tratamento se inicie antes mesmo da nova concepção, sendo muito importante que companheiro e familia estejam envolvidos na construção e fortalecimento da confiança da gestante. 🫂

Intervencão com parceiro(a) e familia, identificação precoce e prevenção são características-chaves do pré-natal psicológico que atua desmistificando a “maternidade idealizada”, jogando luz e dando espaço aos sentimentos muitas vezes não expressos. O plano de parto quando elaborado com foco no “parto possível” pode ser extremamente terapêutico também.  ❤️

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezoito + 16 =